domingo, 26 de janeiro de 2014

Contos e Lendas: A pedra Filosofal


A Pedra filosofal era um dos principais objetivos dos Alquimistas na Idade Média. Quem conseguisse seu poder poderia transformar metais inferiores em ouro, e também seria possível obter o elixir da longa vida (poderia curar todas as doenças, prolongando a vida indefinidamente) o elixir tem variações de acordo com cada mito. Na mitologia grega a Ambrosia, o manjar dos deuses do Olimpo, era tão poderoso que se um mortal a comesse ganharia a imortalidade. Na mitologia nórdica as maçãs de um pomo cuja guardiã é Iduna podiam dar a vida eterna aos deuses (que nessa mitologia são mortais), e também a lenda sobre a fonte da juventude.
Ao longo da história vários nomes aparecem como alquimistas que tentaram reproduzir a pedra como, Paracelsus e Fullcanelli, mas a história mais famosa é a de Nicolas Flamel.
Por volta de 1370, Nicolas teria encontrado um livro que continha textos aparentando serem hieróglifos. Flamel não conseguia decifra – lós, ainda segundo a história ele teria encontrado um sábio judeu em uma estrada a caminho de Santiago, na Espanha que fez a tradução do livro que se tratava de cabala e alquimia, possuindo a fórmula para a pedra filosofal.
A partir de 1380, Flamel começou a dedicar-se a alquimia para produzir a pedra filosofal. Cerca de dez anos mais tarde do início dos experimentos começou a realizar um grande número de obras de caridade como a construção de hospitais, igrejas, abrigos e cemitérios e os decorar com pinturas e esculturas contendo símbolos alquímicos e muito ouro. Nicolas Flamel morreu em 22 de março de 1418, com mais de 80 anos.
No entanto a lenda que circula principalmente na França é que Flamel e sua esposa não morreram e que em suas tumbas só foram encontradas roupas em lugar de seus corpos, eles teriam vivido graças ao elixir da vida que ele teria fabricado. Flamel deixou um testamento escrito a seu sobrinho, em que revelava os segredos que descobrira sobre a alquimia. O "Testamento de Nicholas Flamel" foi compilado na França no final dos anos 1750 e publicado em Londres em 1806. O documento original foi escrito de próprio punho por Nicholas em um alfabeto codificado e criptografado que consistia em 96 letras. Um escrivão Parisiense chamado FatherPernetti o copiou e um Senhor de Saint Marc pôde finalmente quebrar o código em 1758. Mas até hoje ninguém conseguiu reproduzir a tal pedra.

Curiosidades


A casa de Nicolas ainda existe na França.
É citado no filme Harry Potter e Pedra Filosofal, onde ele realmente criou a pedra, mas ao final do livro ele a destrói para que Voldemort (o vilão da história) não consiga sua imortalidade.
Escreveu três livros:
O Livro das Figuras Hieroglíficas em 1399
O Sumário Filosófico em 1409
Saltério Químico em 1414.


Fontes:

http://tudosobremagiaeocultismo.blogspot.com.br/2012/04/nicolas-flamel.html


Fonte das imagens:

http://lh4.ggpht.com/_b1OxftvRsQU/Sv3-pSBBnGI/AAAAAAAAAOI/1gAKelapzPU/InlineRepresentation5ff3400a-3d50-45a0-b507-d2b1f23cbe69%5B1%5D.jpg%3Fimgmax%3D800

http://monomaniacos.com.br/wp-content/uploads/2013/02/Pedra-Filosofal-2.jpg

http://4.bp.blogspot.com/-S-UOP0UBmXA/T6iMfT-rZ2I/AAAAAAAAA00/4MTCdn9mCIY/s1600/Nicolas%2BFlamel%2Balchemy%2Balchemist%2Balquimista%2Bharry%2Bpotter%2Bnicolau%2Bflamel%2Belixir%2Blonga%2Bvida%2Bpedra%2Bfilosofal%2Bgrande%2Bobra.jpg

Por: Fernanda Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.